06/06/2009

Uma pérola

A ostra, para defender-se de alguns intrusos, ataca-o com um uma substância segregada no manto; tal substância, depositada sobre o invasor, cristaliza-se rapidamente, iniciando a formação da pérola.


Transformando o mal em bem

A pérola é o resultado de uma reação natural da ostra contra invasores externos, como certos parasitas que procuram reproduzir-se hospedados nela. Para isso, se alojam no manto, uma fina camada de tecido que protege as vísceras da ostra. Ao defender-se do intruso, a ostra ataca-o com uma substância segregada no manto, chamada nácar ou madrepérola., composta de 90 por cento de um material calcário chamado aragonita (CaCO3), 6 por cento de material orgânico (conqueolina, o principal componente da concha externa) e 4 por cento de água. O nácar é depositado sobre o invasor em camadas concêntricas, cristalizando-se rapidamente. O tempo médio de maturação de uma pérola é de três anos. O processo pode ser induzido artificialmente introduzindo-se um grão de areia, por exemplo. Fonte: Superinteressante

Amo e tenho a cada dia mais me encantado por pérolas e a moda deste ano
vai me favorecer muito, com certeza elas estarão presentes em nosso casamento!