21/06/2009

DIY

Não sei o que acontece aqui neste país. Em matéria de casamento, quando se vê algo simples, artesanal , do tipo faça você mesmo (do it yourself – DIY ) , as pessoas regularmente torcem o nariz, não vêem beleza, ou dizem que é “coisa de pobre”. Possivelmente reflexo deste período pós-revolução industrial que vivemos, do sistema capitalista e consumista, ou mesmo uma herança cultural pluralizada, um tanto indígena quase carnavalesca, de uma vaidade exorbitante e digna de um pavão! Por que tudo tem de ter um aspecto grandioso, contratado, terceirizado? O cabelo, a maquiagem, os convites, lembranças, laços, fitas, flores! Ah, as flores! É muito mais valoroso envolver-se totalmente, empenhar tempo, dons e criatividade, personalidade e identidade, e assim deixarmos de ser meros consumidores e passarmos a produtores. Quero profundamente que este aspecto esteja presente em todas as coisas do nosso casamento, empregando nossos dons e contando com a inspiração do Espírito de Deus. Nos próximos posts estará mais um capítulo da preparação para o dia mais esperados dos últimos 10 anos. Seguramente!