26/06/2009

O som de uma vida


Existe uma tribo na África onde a data do nascimento da criança não é contada nem a partir do dia que ela nasce, nem a partir da concepção, e sim a partir do dia em que a mãe pensou pela primeira vez na criança. Assim, quando a mãe decide ter a criança, ela deixa a aldeia onde mora e vai sentar-se sozinha sob uma árvore. Ali permanece até que consiga ouvir a música da criança que deseja conceber. Depois disso, retorna á aldeia e ensina a canção ao pai. enquanto fazem amor para conceber a criança, eles cantam a sua canção como um convite para que ela se junte a eles. Quando a mãe está grávida, ela ensina a canção da criança para as parteiras e anciãs da aldeia para que, durante o parto e no momento do nascimento, o bebê seja saudado com a sua canção. Depois do nascimento, todos os moradores da aldeia aprendem a música e cantam quando a criança se machuca. A música é cantada também em situações de triunfo, em rituais ou iniciações. Essa canção torna-se parte da cerimônia de casamento. E no final da sua vida, os entes queridos se reúnem em volta do leito de morte e entoam enquanto a alma deixa o corpo.


Publicado por Jornal Alternativo ed. no. 66