13/08/2009

Os aspectos do amor de Deus na pessoa de Jesus



O que o amor não é : sentimento, emoção, aventura, paixão (fogo que arde sem se ver), medo, ódio, ressentimento, frieza, distanciamento.

I João 4:18 No amor não há medo antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.

I João 4:8 Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.

Podemos avaliar a qualidade dos nossos relacionamentos pelos aspectos do amor que estejam presentes. Se um relacionamento com Deus ou com os homens estiver permeado de receios e inseguranças, é um relacionamento imperfeito, sem liberdade. Por vezes o relacionamento com nossos pais pode parecer difícil, inseguro, sem alegria, sem confiança e precisa ser aperfeiçoado no amor. Devemos tomar passos em direção a isso, renunciar, gastar tempo, agir com misericórdia, tomar o lugar da pessoa, despojar-se de justiça própria e amar incondicionalmente, ainda que em nosso coração não estejamos sentindo. Isso mesmo. Amor não é sentimento. É atitude. Vamos ver o que mais o amor é.

O que o amor é: Decisão, Atitude carregada de fé e de esperança, escolha, renúncia, entrega, segurança e descanso em Deus, vínculo da perfeição, evidencia da vida de Deus e da confissão da nossa fé.

I João 4: 19 Nós amamos, porque ele nos amou primeiro. 20 Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu. 21 E dele temos este mandamento, que quem ama a Deus ame também a seu irmão.

I CORINTIOS 13:4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, 5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; 7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

ROMANOS 13: 8 A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei. 10 O amor não faz mal ao próximo. De modo que o amor é o cumprimento da lei.

O amor é o cumprimento da lei, de modo que se alguém amar verdadeiramente, não precisa se preocupar em “decorar” cada um dos mandamentos contidos na palavra, pois o amor é o cumprimento de todos eles, o amor é a motivação, o espírito da lei. Se você ama você não rouba, não mata, não adultera, não se envolve em projetos corruptos. Da mesma forma alguém que conhece muito as doutrinas e preceitos da palavra (lei) , se não amar verdadeiramente, seu procedimento não tem valor para Deus. Estes são os chamados fariseus do novo testamento, os religiosos, que sabiam tudo sobre a lei, mas simplesmente não amavam. Não se entregavam, não se compadeciam, não tinham misericórdia. Estavam sempre apontando falhas, vigiando para que “a lei fosse cumprida”. Estas pessoas causaram muitos problemas pra Jesus, e estavam sempre questionando o nosso mestre, verificando se tudo estava em conformidade com a lei. Por isso Jesus nos alertou, dizendo que deveríamos ser melhores do que eles, pois a justiça deles eras vã, mas a nossa deveria fundamentada no amor, e por isso muito mais excelente.

Mt 05: 20 Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

Lá no céu teremos muitas surpresas no dia do julgamento, pois este será o critério para entrar na eternidade: amou ou não amou; obedeceu ou não obedeceu. Como está escrito: “ Nem todo o que disser Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus (Mt 7:21). Muitos que não viveram segundo o amor mas segundo a lei, mesmo que conhecendo a bíblia, as promessas, não entrarão no Reino. Mas se amarmos verdadeiramente, teremos confiança diante de Deus.

I João 4:16 E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele. 17 Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo.

O amor é o motivo e razão pelo qual Cristo entregou a sua vida por nós. E tendo sido salvos e justificados, tendo recebido a vida dele, devemos andar como Ele andou, amar como Ele amou, tomar a nossa cruz e morrer a cada dia. É claro que para chegarmos a estatura de Cristo temos que comer muito “arroz com feijão”, mas essa deve ser a nossa busca diária “o maior sonho da nossa vida”. Se perguntarem o que queremos ser quando crescer diremos: quero que Cristo seja o centro da minha vida, quero ser como Ele é.