03/09/2009

Arte do Egito











Importantes monumentos artísticos, até hoje conservados, atestam a grandiosidade da arte egípcia; os principais são as pirâmides do deserto de Gizé: Quéops, Quéfren e Miquerinos.

A religião é talvez o aspecto mais significativo da cultura egípcia. Tudo no Egito era orientado por ela: o mundo poderia - na visão desse povo – ser destruído não fossem as preces e os ritos religiosos. A religião, portanto, invadiu toda a vida egípcia, determinando o papel de cada classe social e, conseqüentemente, orientando toda a produção artística desse povo.

A estatuária e a pintura conheceram grande desenvolvimento. De um modo geral, na pintura e na escultura de sarcófagos predominava a frontalidade, isto é, corpo representado sempre de frente, enquanto a cabeça, as pernas e os pés eram vistos de perfil. Seja qual for a posição em que o corpo humano é representado, toda a superfície da caixa torácica se volta para o observador, sempre em função do mesmo.A sua atitude perante o observador constitui um ato de reverência, de cortesia e etiqueta.Toda a história da civilização egípcia chegou até nós por meio de sua

escrita. A postura rígida dessas representações foi dando lugar a desenhos mais leves, com cores variadas, e a figura parece ganhar movimento. Os temas religiosos estão sempre presentes na arte egípcia. Além dos hieróglifos, considerada escrita sagrada e encontrada nos túmulos e templos, havia também a hierática, utilizada nos textos dos sacerdotes, e a demótica, mais popular, utilizada nos contratos redigidos pelos escribas.