20/04/2010

...


O meu amado fala e me diz: Levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem.
Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi. Aparecem as flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra.
A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem. Pomba minha, que andas pelas fendas das penhas, no oculto das ladeiras, mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e a tua face graciosa.
 
Cantares 2:10 a 14





fotos: axioo e fernanda e sharon

No princípio

“Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora;” Rm 8:19 a 22



Assim como a humanidade se enganou durante milhares de anos, achando que a terra era o centro do universo, engana-se novamente agora, ao achar que espécie humana é o centro da criação, a espécie mais importante sobre a terra, a ponto de considerar-se com plenos direitos sobre todas as outras espécies, para fazer o que quiser como se pudesse sobreviver sozinhos no planeta. Durante milhares de gerações, a natureza foi temida e tratada como uma adversária a ser vencida. Hoje, ela é vista como uma espécie de armazém de recursos naturais inesgotáveis para o desenvolvimento humano e uma lixeira enorme, capaz de receber nossos dejetos infinitamente. Os ecossistemas extintos, as crateras enormes, os vazadouros de lixo mostram o quanto o nosso estilo de vida está errado.

“Consideramos hoje a terra também como um oprimido, por isso precisamos também de uma pedagogia desse oprimido que é a Terra. Precisamos de uma pedagogia da terra como um grande capítulo da pedagogia do oprimido. Uma pedagogia que tem como suporte o Paradigma Terra que considera esse planeta como uma única comunidade, uma e diversa.” (GADOTTI)

O homem está imerso em uma espécie de egoísmo desenfreado, onde os sistemas econômicos o impulsionam a viver uma vida baseada no imediatismo e satisfação irrestrita dos desejos momentâneos, não levando em conta se tais desejos expressam reais necessidades. É quase utópico pensar na defesa dos direitos de pessoas que ainda não existem, quando todos estão somente preocupados consigo mesmos e com os seus interesses. Na utopia, estabelece-se um consenso perfeito, a “Busca da cidade feliz ou justa, cujo fundamento se encontra na excelência da legislação, ou na lei, e na pedagogia ou na educação dos cidadãos segundo a excelência da lei” (Chauí). Porém, na prática no dia-a-dia já não se menciona futuro, as pessoas trabalham não para acumulação de recursos para seus herdeiros, mas para multiplicação de capital e enriquecimento, cujos benefícios devem ser desfrutados no tempo que se chama hoje. A vida perdeu o valor original para o homem contemporâneo.

(...) Uma estratégia aceitável para o planeta Terra deve, então, levar explicitamente em conta o fato de que o recurso natural mais ameaçado pela poluição, mais exposto é degradação, mais propenso a sofrer um dano irreversível, não é esta ou aquela espécie; não é esta ou aquela planta ou bioma, ou habitat, nem mesmo a atmosfera livre ou os grandes oceanos. É o próprio homem. (ward&dubos, 1973:273)

A mudança só acontecerá a custos da própria vida humana, quando cada indivíduo vier a ser seriamente afetado pelas conseqüências do um uso dos recursos naturais e degradação completa da natureza.

“Afagar a terra conhecer o desejo da terra... “

(Milton Nascimento e Chico Buarque)

Nenhuma espécie vive isolada, por mais importante que pareça. Existe uma ligação entre todos os seres e destes com o meio ambiente. Há uma relação de interdependência, onde todos precisamos de todos. Mas esse equilíbrio que sustenta a vida é frágil, e pode ser rompido facilmente a cada espécie que se extingue.

Para se ter condição de independência existe a relação de dependência das condições de sobrevivência. Ambos são aspectos complementares e não contraditórios, e devem ser considerados em seus diferentes graus. O indivíduo tem aspectos específicos, mas faz parte de um grande conjunto. Toda a ação está interada e nunca isenta de influências. A parte não existe sem o todo. O ecossistema social deve se basear no ecossistema natural.

Todos os seres vivos se relacionam ente si e com o meio ambiente, mas apenas o homem atua conscientemente sobre ele. O homem tem sido responsável por grandes e rápidas transformações dessa “morada”, principalmente a partir da crescente urbanização ocorrida após a segunda guerra mundial. Essa urbanização foi mais intensa quando a população rural deixou o campo para tentar a vida na cidade e exigiu um aumento no abastecimento de alimentos e bens de consumo. Isso foi possível devido aos avanços tecnológicos proporcionados pela revolução industrial a partir do século XVIII.

O melhor - Seção com os padrinhos

Amei todas...

Rosa-coração

19/04/2010

Todo dia era dia


Eles foram os primeiros a habitarem estas terras, e desenvolveram uma estilo de vida e organização social totalmente compatível e em harmonia com os ecossistemas que aqui existiam. Eram contados em mais de oito milhões de pessoas, divididos em  mil grupos étnicos diferentes. Hoje, dizimados, não passam de 500 mil em pouco mais de 50 grupos. O seu canto triste é o lamento de uma raça que já foi muito feliz e contente pois antigamente todo dia era dia de índio...

19 de Abril
Dia de ao menos lembrar-se do índio

Já casei...


Mas ainda sou fã do Davi Martins

13/04/2010

Vida ilustre

Descobri que a ilustração está muito mais presente em minha vida do que eu imaginei... e agora estou pensando nisso o tempo todo, nas oportunidades que este novo caminho artístico pode trazer, tanto com possibilidades criativas quanto profissionais, gestão de tempo e tal

07/04/2010

Cartinha rápida

Uma dica pra fazer uma cartinha ou convite supercriativo e muito rápido!
















= ]

JukaDiboa

Que lindos! Eles são o meu xodó gente, e finalmente criaram um blog deles, sobre casamento, a vida, Deus, enfim... Visitem, conheçam, se envolvam com eles, são gente altamente recomendável!
 Como estou feliz! Tô com a Juka, tô Diboa



Se você também tem um blog de casamento e quer que eu divulgue o seu endereço, me escreve!

Rock'n roll bride


´


O casamento precisa ser uma manifestação de identidade,  personalidade,  visão de mundo, seja qual for... Uma bela expressão do nosso tempo, dos anelos desta geração, de arte, de vida. Por que não vivemos mais no século 18, não temos orquestras de fundo musical no nosso dia-a-dia, mas sim mp3, guitarras e sons eletrônicos. Nosso guarda-roupa não tem rendas e bordados, mas algodão, jeans e sintéticos, basicamente.
Que a autencidade seja a base das suas escolhas

E esse blog, ajuda a refletir sobre isso...