23/01/2011

O ponto - parte 1

   
   É tão triste ver pessoas que abandonam seus sonhos, são traídas pelo próprio coração enganoso, e as motivações erradas. Eles não conseguem se manter no caminho, mas se dispersam, desanimam, desacreditam de si mesmos. Eu reflito muito sobre isso e me pergunto: Qual a diferença entre a vitória e o fracasso? De que é feito o coração dos que conquistam e dos que não alcançam? Qual a razão da coragem e da determinação/ É fé? É somente confiança? Isso depende de cada uma ou é dom de Deus? O que faz com que cada um seja roubado em seus sonhos mais dignos, vituosos; porque alguns estão dispostos a pagar o preço e outros não? Como multiplicar o talento ao invés de o enterrar, como mudar a própria história e o própriodestino, habilmente reverter situações adversas e desfavoráveis? Como não se submeter ás colheitas dos antepassados, se livrar dos maus frutos e mudar o futuro? Será este um teste da vida para que o interior de cada coração se manifeste? Receberíamos nós sonhos apenas para lutar? O mais importante é o processo ou o resultado? O destino ou o caminho que leva até ele? Em que devemos nos concentrar? A palavra frequentemente manifesta estes valores referindo-se á importância da diligência, da firmeza de propósitos, "ao vencedor", "ao que vencer", "o que for encontrado fiel", "o bom e o mau servo", "o que duvida"... Dúvida... Este é o ponto.